Dentro do conceito de manutenção preditiva, temos a análise termográfica como um dos aspectos técnicos que visam conferir equipamentos que possam emitir radiação infravermelha.

Essa característica, inclusive, é o que faz a termografia uma técnica bastante popular para indústrias dos mais variados segmento, sendo um diferencial e tanto para aplicar em sua rotina e, assim, garantir eficácia máxima dos seus aparelhos com uma boa gestão de manutenção.

Para você que deseja saber um pouco mais a respeito da análise termográfica — como o seu conceito, do que se trata e como funciona — elaboramos todas as respostas neste post. Confira!

O que é a análise termográfica

Em suma, a análise termográfica é uma técnica de inspeção não invasiva — ou seja: que não interfere na produção do seu equipamento — que toma como base a detecção de radiação infravermelha emitida por corpos que possuam intensidade proporcional à temperatura deles.

Isso ajuda, por exemplo, a identificar e mensurar alterações de temperatura no seu maquinário, o que permite um diagnóstico mais preciso e sob o seu controle a respeito da eficácia dos elementos do seu equipamento.

Além disso, ela também é usada com o propósito de observar algum tipo de padrão na distribuição de calor dos seus equipamentos, permitindo observar atentamente as condições operacionais dos aparelhos e seus principais componentes.

Não à toa, a termografia é um dos tipos de análises, da manutenção preditiva, que é mais aplicada em segmentos industriais. Destaque à sua praticidade e agilidade na medição de informações necessárias.

Como funciona a análise termográfica

A análise funciona como uma amplificação de nossa visão, permitindo que observemos o espectro infravermelho, que é conhecido como termograma.

Trata-se, em resumo, de uma frequência eletromagnética que é naturalmente emitida. Na indústria ou em qualquer tipo de negócio onde se faça necessária a manutenção preditiva, a termografia é idealizada para averiguar as condições de aparelhos eletroeletrônicos, por exemplo, para aferir as condições de circuitos e quadros de energias (de média ou de baixa tensão) e outros ambientes produtivos, como:

  • Linhas de alta-tensão;
  • Subestações;
  • Cabines de entradas de energia;
  • Instalações elétricas;
  • Nobreaks.

Entre outras áreas e equipamentos — sendo comumente utilizada no setor mecânico também.

A aplicação da análise termográfica na manutenção preditiva

Agora, já deve estar um pouco mais claro como a análise termográfica pode ser de grande auxílio para quem já possui ou deseja instaurar uma rotina de manutenção preditiva, não é?

Isso porque esse tipo de análise ajuda a identificar eventuais problemas que podem gerar mais calor do que o habitual ou necessário, ajudando na verificação de um diagnóstico rápido e assertivo.

Consequentemente, a sua empresa gera menos custos com a manutenção corretiva, evitando também que o seu maquinário fique um precioso tempo em manutenção — algo que a análise termográfica pode fazer rapidamente e, assim, permitir um planejamento prévio para a correção ou ajustes que se façam necessários.

Problemas que podem ocorrer em aparelhos eletroeletrônicos

Entre alguns dos principais diagnósticos que podemos detectar com a análise termográfica, destacamos os seguintes:

  • Mau contato de alguma fiação;
  • Oxidação dos componentes;
  • Desgaste de algumas peças;
  • Sobrecarga de circuitos.

Problemas que podem ocorrer no setor de mecânica

Para a indústria mecânica, a manutenção preditiva e a análise termográfica são fundamentais. Afinal, ambos podem ajudar na detecção dos seguintes problemas:

  • Atrito entre algumas peças;
  • Falta de lubrificação;
  • Problemas de alinhamento entre os eixos.

Vale lembrar que, quanto antes o diagnóstico, mais rápida será também a correção do problema, mantendo a sua empresa em plena produtividade e sem impactar o orçamento.

Baixe agora nosso guia sobre manutenção preditiva!

Como escolher o Fornecedor certo para sua Manutencao Preditiva

Open

Solicite um Orçamento