A melhoria contínua é um sistema de práticas adotadas por muitas empresas que desejam ter mudanças significativas em seus resultados por meio de boas práticas da organização e adoção de diversas metodologias. Dentro deste conceito, existem duas vertentes mais conhecidas: a norte americana, conhecida também como ciclo PDCA; e a japonesa, conhecida como Kaizen, que significa “mudança para melhor”.

Ciclo PDCA – o que é?

PDCA é uma sigla em inglês que significa PLAN-DO-CHECK-ACT, que em tradução livre ficaria PLANEJE-FAÇA-CHEQUE-AJA.

  • Planeje: Dentro do contexto de PDCA, um projeto bem elaborado é fundamental para impedir futuras falhas, além de otimizar de forma significativa o ganho de tempo. A ideia é pautar o planejamento de acordo com a missão, visão e valores da empresa, com metas e objetivos muito bem definidos.
  • Faça: Depois da primeira etapa, é importante colocar o planejamento em prática “a risca”.
  • Cheque: Como o nome diz, esta é a fase onde possíveis brechas são identificadas. A ideia é que as metas alcançadas sejam mensuráveis pelos dados coletados e do mapeamento de processos. Essa checagem é feita em dois momentos distintos: paralelo a execução, e ao final dela, para garantir os ajustes necessários.
  • Aja: Aqui são aplicadas todas as ações corretivas de modo que o projeto sempre seja aperfeiçoado.

Esse ciclo é feito de forma repetitiva que, quando aplicado sucessivas vezes nos processos, garante a melhoria da forma visando alcançar as metas de uma organização. Ela é muito utilizada por corporações que desejam melhorar o nível de gestão pelo controle de processos e atividades.

Kaizen: filosofia de aperfeiçoamento contínua

A prática japonesa é um pouco diferente da norte americana, já que ela visa uma melhora contínua não só no ambiente empresarial, mas sim em todos os aspectos da vida de uma pessoa. O objetivo é ter uma evolução gradual, mesmo que minimalista, porém diária, tanto na estrutura empresarial quanto em todos os membros de uma organização. A ideia é dar bem estar ao trabalhador, e isso acaba por refletir na organização como um todo.

De acordo com o fundador do Instituo Kaizen, Masaaki Imai, em seu livro “Kaizen – o segredo do sucesso competitivo no Japão”, há nove mandamentos desta filosofia:

  • Aprender na prática.
  • Todo desperdício deve ser eliminado.
  • Todos os colaboradores devem estar engajados no processo de melhoria.
  • O aumento da produtividade deve ser baseado em ações que não demandem investimento financeiro alto.
  • Deve ser aplicado em qualquer local ou empresa.
  • As melhorias obtidas devem ser divulgadas, como forma de se ter uma comunicação transparente.
  • As ações devem ter foco no local de maior necessidade.
  • O Kaizen deve ser direcionado de forma que seu objetivo seja unicamente a melhoria dos processos.
  • A priorização na melhoria das pessoas deve ser mais importante.

Combinando a melhoria contínua e a manutenção preditiva

Ambas metodologias visam melhorar a empresa como um todo, só que o primeiro passo a ser dado é entender o que é necessário melhorar. Já a manutenção preditiva é uma metodologia adotada pelas empresas que visa identificar possíveis falhas ao verificar as primeiras irregularidades de um equipamento.

Para isso, é necessário fazer uma inspeção de rotina em cada um dos aparelhos, e é aqui que o conceito de melhoria contínua se encaixa na manutenção preditiva. Tanto o Kaizen quanto o PDCA realizam melhorias diárias, dando ainda mais eficiência a manutenção preditiva, e com isso, otimiza todos os processos. Em ambos os casos, há uma redução (ou até a eliminação) de desperdícios, além de ter um aumento na eficiência individual de cada um dos funcionários.

O processo rotineiro segue um padrão, e esta padronização também está ligado ao conceito de melhoria contínua. Quanto maior o empreendimento, mais essencial se torna a padronização para que o resultado seja de excelência, e isso inclui a manutenção preditiva.

Melhoria contínua não tem um “ponto final”

Os empreendimentos devem criar uma cultura de melhoria contínua nas empresas visando justamente a evolução do negócio como um todo, sendo um trabalho diário e que não tem fim, por isso se chama “melhoria contínua”.

Esse conceito de melhoria contínua também implica em mudança contínua, já que a manutenção sempre deve estar atenta a novas formas e ideias que aumentam a eficiência das atividades.

Conheça mais a fundo sobre o Kaizen neste artigo e compartilhe este artigo em suas redes sociais.

 

Baixe também o e-book “Cases de sucesso: Italac”

Pin It on Pinterest