Compradores na indústria estão buscando continuamente maneiras de reduzir os custos em sua empresas. Ao tentar fazê-lo, é normal que enfrentem uma série de desafios, incluindo o envelhecimento da infraestrutura, a volatilidade dos preços das matérias primas e a manutenção dos padrões de conformidade.

A boa notícia é que a manutenção preditiva existe como uma das formas mais eficientes de reduzir custos. Ela é uma abordagem que permite prever, por meio da análise das condições e do rendimento de um bem, quando ele precisará de manutenção.

Mas como exatamente funciona a manutenção preditiva e como ela permite que os custos em compras sejam cortados? É exatamente isso que falaremos no nosso post. Acompanhe conosco e descubra!

Manutenção preventiva versus manutenção reativa

A manutenção reativa é aquela que acontece quando você espera até que bem quebre ou pare de funcionar para consertá-lo e seus custos podem ser muito altos.

Basta pensar no possível pagamento de horas extras, caso uma máquina quebre em um momento crítico, nos trabalhadores adicionais que podem ser necessários, e no tempo que a produção pode ficar parada esperando o envio de peças de reposição. Isso só para citar alguns fatores.

Já a manutenção preditiva monitora diretamente a condição e o desempenho do equipamento durante a operação normal do mesmo para prever falhas. O objetivo é manter a frequência de manutenção o mais baixa possível para evitar quebras não planejadas e a realização de tarefas de manutenção desnecessárias. Ou seja, reduzir custos.

Mas como? Por meio de alguns métodos de análise que servem como indicativos da condição operacional de um equipamento.

Os principais métodos de manutenção preditiva

A manutenção preditiva avalia a condição do equipamento executando o monitoramento periódico ou contínuo da condição dele. A maioria dos métodos é realizada enquanto o equipamento está funcionando normalmente para minimizar a interrupção das operações diárias.

Esta estratégia de manutenção alavanca os princípios do controle de processo estatístico para determinar quando as tarefas de manutenção serão necessárias no futuro. Os tipos principais de manutenção preditiva incluem:

Análise de vibração

Qualquer máquina apresenta vibrações, por menores que sejam. Com o tempo, essas acabam levando os equipamentos à deterioração, em alguns casos mais rápida ou mais devagar. A análise de vibração consiste em observar a evolução do nível dessas para obter informações sobre as condições da máquina.

A ideia é que sensores de vibração sejam usados ​​para detectar a degradação gradual no desempenho dos equipamentos, tais como bombas e motores, indicando quando eles devem passar por manutenção para evitar falhas e problemas inesperados.

Termografia

A termografia por infravermelho é uma ferramenta que se tornou cada vez mais utilizada para manutenção preditiva em sistemas mecânicos e elétricos ao longo do tempo. Ela aproveita as propriedades da radiação infravermelha para extrair conclusões úteis sobre a condição do equipamento sob teste.

Este não é um método nem destrutivo, nem um procedimento de interrupção, ou seja, pode ser realizado com o equipamento em funcionamento. As câmeras de infravermelho são a primeira linha de defesa na termografia. Os técnicos podem medir e comparar rapidamente as assinaturas de calor para cada máquina na rota de inspeção, sem interromper as operações.

Análise de trincas

Para encontrar trincas e falhas na superfície de um material é realizada a análise de trincas. Ela consiste em um ensaio com partículas magnéticas, que buscam identificar descontinuidades superficiais em materiais ferromagnéticos. Além de trincas, é possível identificar problemas como junta fria, inclusões, falta de penetração, entre outros.

O método envolve a geração de um campo magnético que percorre a superfície do material. As linhas magnéticas do fluxo induzido no material desviam-se de sua trajetória ao encontrar uma descontinuidade superficial, criando assim uma região com polaridade magnética, altamente atrativa às partículas magnéticas.

Medição de espessuras

A medição de espessuras é uma ferramenta útil para ajudar a prever a vida útil das tubulações ou dos vasos de armazenamento utilizados nas redes de água, gás ou petróleo ou em aplicações industriais mais gerais.

Usando a tecnologia de ultra-som de última geração, calibrada e rastreável de acordo com os padrões ISO, são feitas leituras de espessura da parede do vaso ou da tubagem a partir da superfície externa dos ativos durante a operação padrão, para identificar problemas antes que causem possíveis vazamentos.

Seja qual for o método mais adequado, a manutenção preditiva adequada pode reduzir os custos operacionais e aumentar a vida útil dos equipamentos e sistemas essenciais na grande maioria dos casos.

Faça nosso Diagnóstico de Manutenção Preditiva e descubra você também a necessidade de apostar nessa estratégia dentro da sua empresa!

Pin It on Pinterest