Nunca falha: as coisas tendem a desmoronar, literal e figurativamente, nos piores momentos possíveis.

Talvez você esteja atrasado para uma reunião importante quando a bateria do seu carro acaba ou quando você precisa imprimir um documento importante para uma apresentação a impressora fica sem tinta.

Nada dura para sempre. As máquinas com as quais contamos para desempenhar suas funções perfeitamente todos os dias falharão inevitavelmente em algum momento.

O que acontece quando um problema como a bateria em um único carro ou a tinta na impressora do escritório cresce à escala de um problema industrial? Quão valioso seria se você pudesse identificar exatamente esses momentos e intervir para manter as coisas funcionando sem problemas?

É exatamente isso que a manutenção preditiva faz. Continue lendo e descubra como ela pode evitar problemas comuns e trazer benefícios para sua indústria!

Manutenção preditiva, uma filosofia corporativa

A manutenção preditiva é uma metodologia ou, em outras palavras, uma filosofia corporativa que leva em consideração o estado do equipamento de uma empresa.

Ela monitora periodicamente os equipamentos com base na análise de dados coletados por meio dos chamados ensaios não destrutivos — testes realizados nas máquinas sem afetar seu funcionamento.

Podemos citar como um dos objetivos da manutenção preditiva a verificação em tempo hábil do equipamento, a fim de antecipar eventuais problemas que possam levar a custos mais altos com a manutenção corretiva. No entanto, o objetivo principal é otimizar o uso dos ativos, aumentando a produtividade e reduzindo custos para as empresas.

Ela não elimina completamente todos os aspectos dos programas tradicionais de manutenção preventiva e corretiva, mas pode reduzir o número de falhas inesperadas, além de fornecer uma ferramenta de agendamento mais confiável para tarefas de manutenção preventiva de rotina.

Como a manutenção preditiva evita problemas

A premissa da manutenção preditiva é que o monitoramento regular das condições mecânicas reais dos equipamentos e do desempenho operacional dos sistemas de processo fornecerão o intervalo máximo entre os reparos.

Isso também minimizará a frequência e o custo de paradas não programadas resultantes da falha do equipamento e melhorará a disponibilidade geral do mesmo nas unidades operacionais. De fato, a manutenção preditiva deve ser vista como um programa de manutenção preventiva desencadeado por uma condição.

Dentre os benefícios da manutenção preditiva, podemos citar:

  • Redução nos custos de manutenção;
  • Redução de falhas na máquina;
  • Tempo de inatividade reduzido para reparos;
  • Estoque reduzido de peças de reposição;
  • Maior vida útil das peças.

Os ensaios não destrutivos

Ensaios não destrutivos são a ferramenta que a manutenção preditiva para coletar dados sobre as condições do equipamento e identificar possíveis alterações antes que causem uma falha completa. E o que é melhor: sem que o equipamento precise ser desligado ou a linha parada.

Existem alguns tipos de ensaios não destrutivos. Abaixo, citamos os principais deles:

Análise de vibração

A maioria das máquinas possui peças rotativas que geram vibrações. Medir como e quanto essas partes vibram pode dizer muito sobre a saúde de um equipamento. Esse método utiliza sensores acoplados aos rolamentos da máquina para medir as frequências de vibração que transmitem e identificar possíveis anomalias.

Termografia

A maioria das falhas em equipamentos é sinalizada por um aumento significativo na temperatura de operação muito antes de ocorrer a falha em si. A termografia pode detectar padrões de calor no espectro de comprimento de onda infravermelho gerados pelo equipamento em funcionamento, que não são visíveis a olho nu. Esses padrões de calor ajudam a identificar componentes em deterioração antes que eles falhem.

Medição de espessuras

A medição de espessuras usa um ultrassom para identificar e monitorar mudanças de espessura nos componentes que podem resultar em falhas ou outros problemas. no futuro. Um dos usos mais comuns dos testes ultrassônicos é avaliar a corrosão em tubulações e outras estruturas ou componentes fechados.

Análise de trincas

Também chamada de ensaio de partículas magnéticas, a análise de trincas funciona emitindo um campo magnético no componente que está sendo testado — essencialmente magnetizando o objeto. Em seguida, as partículas de ferro são aplicadas à superfície. Essas partículas são atraídas para as pequenas fissuras, acumulando e fornecendo evidências de trincas que podem levar a vazamento.

Contudo, para aplicar qualquer um desses ensaios, é preciso contar com um parceiro como a MMTec. Nossa empresa oferece excelência em programas de melhorias em projetos industriais, incluindo manutenção preditiva,  explorando técnicas de análises de última geração.

APROVEITE E BAIXE O NOSSO E-BOOK GRATUITO!!

Pin It on Pinterest