A Inspeção NR-13 trata da norma regulamentadora 13 do Ministério do Trabalho, que tem como principal objetivo estabelecer parâmetros e condicionar a inspeção de segurança e a operação de equipamentos como vasos de pressão, caldeiras e tubulações.

Ao definir regras e requisitos básicos, a norma estabelece que as empresas devem ser responsáveis por adotar todas as medidas contidas no documento, visando garantir a integridade dos sistemas.

As condutas ligadas à Inspeção NR-13 tem por objetivo preservar os equipamentos, conservando o funcionamento e prolongando a vida útil, mas também visa garantir a segurança dos trabalhadores, evitando o risco de acidentes.

Não só acidentes de trabalho como doenças ocupacionais que podem causar sequelas. Manipular fluidos e outros equipamentos industriais em condições insalubres, sem a devida proteção, pode resultar em sérios problemas ao trabalhador – e à empresa responsável junto ao Ministério do Trabalho.

Veja o que a NR-13 estabelece

Entre as disposições gerais, a Inspeção NR-13, antes de se deter à manutenção preditiva, pontua com exatidão quais as profissões, de acordo com o regime vigente no país, estão autorizadas a trabalhar no ambiente industrial manuseando vasos de pressão, caldeiras e tubulações.

Para efeitos gerais, é considerado profissional habilitado a exercer a função aqueles que têm competência de: engenheiro de projeto de construção, acompanhamento de operação e manutenção e inspeção e supervisão de inspeção de caldeiras e vasos de pressão.

Não importa se o profissional em questão atua na instalação, na inspeção, na manutenção ou na própria operação dos equipamentos, seguir à risca os procedimentos de segurança ditados pela norma é fundamental.

Esclarecido quem está habilitado para o serviço, vamos organizar abaixo quais equipamentos estão incluídos no plano de manutenção enquadrado na Inspeção NR-13. Veja a seguir:

  • Todos os equipamentos classificados como caldeiras;
  • Todos os vasos de pressão nos quais o P.V. seja maior que 8 – entende-se P por pressão interna e V por volume interno;
  • Recipientes móveis com P.V. maior que 8 ou fluido de classe A;
  • Vasos de pressão com fluidos da classe A;
  • Tubulações ou sistemas de tubulação interligados a caldeiras ou vasos de pressão que possuam fluidos A ou B;
  • Tanques metálicos de superfície para armazenamento e estocagem de produtos finais ou de matérias primas, não enterrados e com fundo apoiado sobre o solo, com diâmetro maior que 3 metros.

Voltando às atribuições da empresa, a Inspeção NR-13 prevê que:

  1. A empresa ou instituição deve estabelecer todas as medidas cabíveis para eliminação, redução e controle de riscos;
  2. É dever da empresa apresentar documentação referente ao cumprimento das normas regulamentadoras ao Ministério do Trabalho ou a qualquer órgão do Governo sempre que solicitado;
  3. Como medida preventiva, a empresa deve garantir a todos os trabalhadores que possam interromper suas atividades subitamente diante de situações de risco ou inadequação de equipamentos, ajudando a evitar acidentes e outros eventuais danos.
  4. Em tempo,  a empresa precisa assegurar que os testes em caldeiras, vasos de pressão e tubulações, assim como os demais procedimentos, sejam realizados com totais condições de segurança, evitando danos à integridade física dos trabalhadores envolvidos.

Além dos vasos de pressão, caldeiras, tubulações e reservatórios, a Inspeção NR-13, enquanto estratégia de manutenção preditiva, também deve avaliar e monitorar os equipamentos considerados auxiliares, tais como bombas, filtros, resfriadores de óleo, geradores, motores, entre outros.

Como funciona o processo ligado à Inspeção NR-13

Fora a avaliação inicial das tubulações, a norma recomenda que a empresa passe a monitorar de forma periódica todo o sistema na intenção de garantir a segurança da estrutura. Mas como isso acontece? Vejamos a seguir.

No caso dos vasos de pressão, o inspetor deve verificar se a fabricação do equipamento já contempla os pré-requisitos de segurança. É preciso validar a documentação, o prontuário e a identificação com os dados corretos.

As inspeções de segurança periódicas que devem transcorrer após a primeira avaliação precisam ser comprovadas com base em relatórios e análises que servem para documentar o processo.

A NR-13 foi criada na intenção de impedir que acidentes de trabalho ocorram pela falta de manutenção das válvulas de segurança em vasos de pressão, caldeiras e tubulações.

Desde sua criação pelo Ministério do Trabalho em 1978, a NR-13 já passou por algumas modificações. A mais recente, em 2018, passou a incluir as tubulações e tanques metálicos além dos vasos de pressão e caldeiras. 

Seguindo os critérios de cada projeto, e de acordo com as possibilidades da empresa, é essencial monitorar a sobrepressão e o vácuo nas válvulas que comandam sistemas de vasos, caldeiras e tubulações. Qualquer acidente nesse manuseio pode ocasionar danos gravíssimos, uma vez que a pressão armazenada no interior dos recipientes é, às vezes, equivalente ao triplo da pressão atmosférica.

A rotina de testes da Inspeção NR-13 possibilita documentar, adequar e viabilizar o uso seguro dos equipamentos. Ao comprar um equipamento como um vaso de pressão, uma caldeira ou uma tubulação que irá trabalhar sobre pressão, uma série de documentos com resultados e testes é cedido ao comprador.

Com isso em mãos, monta-se um prontuário com informações sobre cada equipamento, como o prazo de vida útil do mesmo, manutenções e testes que já foram realizados, entre outros detalhes importantes sobre seu funcionamento.

Cabe ressaltar a necessidade de elaborar um cronograma de inspeção e manutenção periódico para melhor gerenciamento de manutenção dos equipamentos, bem como garantir o bom funcionamento das máquinas e a segurança dos trabalhadores no dia a dia.

Em linhas gerais, o prazo ideal de vistoria para caldeiras e vasos de pressão é de ano em ano. Já as tubulações têm um prazo maior que pode chegar a 100% do prazo estabelecido para o vaso mais critico interligado.

imagem: https://unsplash.com/photos/29PaIGCEq10

Caldeiras: o que são e para que servem

Caldeiras são equipamentos geradores de energia que, em grande parte do tempo, funcionam sob alta pressão.

A caldeira industrial é uma espécie de tanque completamente vedado, onde um líquido é aquecido para formar um fluido vaporizado que pode ser usado em diferentes aplicações.

A fonte de calor de qualquer caldeira é a combustão de combustíveis diversos, tais como madeira, carvão, petróleo ou gás natural.

A maioria dos modelos de caldeiras industriais produz vapor saturado – para ser usado em temperatura de saturação. As caldeiras de vapor superaquecido vaporizam a água e o próprio calor do vapor em um dispositivo superaquecedor.

Isso dá origem a um vapor em uma temperatura muito mais elevada, mas que pode diminuir a eficiência térmica global da planta de geração de vapor, já que a temperatura mais elevada do vapor exige uma temperatura de exaustão maior do gás de combustão.

De acordo com a NR-13, as caldeiras são classificadas em duas categorias:

  • Categoria A – aquelas caldeiras nas quais a pressão de operação é igual ou maior que 1960 kPa e acima de 100 litros.
  • Categoria B – são caldeiras nas quais a pressão de operação é superior a 60 KPa e inferior à 1960 KPa, com volume interno seja igual ou menor que 100 litros.

O item 13.4.1.1, que versa sobre o tema, diz que caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior à atmosférica, utilizando qualquer fonte de energia, projetados conforme códigos pertinentes, excetuando-se refervedores e similares”.

Geralmente, as caldeiras são utilizadas em empresas de processos industriais que precisam de altas temperaturas, em indústrias químicas e petroquímicas e em outros diversos segmentos industriais.

O vapor é gerado através da caldeira e segue, em alta pressão, pelos tubos. Para a caldeira, o trabalho é aquecer a água e gerar esse vapor, utilizando para isso dois métodos mais comuns: o tubo de fogo e o tubo de água.

Por se tratar de um equipamento essencial em muitos setores da indústria, a caldeira necessita de constante manutenção. No caso de explosão do equipamento por falta de manutenção (que é o tipo de acidente mais comum), a caldeira pode provocar explosões ou incêndios.

O cilindro deve ser drenado e limpo em períodos determinados, uma vez que a quantidade de minerais e nitritos pode entupi-los, e o óleo lubrificante deve ser aplicado aos tubos, mantendo-os sempre lubrificados.

Os tubos da caldeira precisam ser inspecionados periodicamente para evitar corrosão ou vazamentos e o indicador de pressão deve ser monitorado constantemente, verificando qualquer anormalidade na pressão, evitando que, eventualmente, uma explosão ocorra sem maiores indícios e coloque os trabalhadores e a produção em risco.

Tanques: o que são e para que servem

Os tanques industriais são utilizados em diversos segmentos das indústrias petroquímicas, químicas, alimentícia, agrícola, entre outras.

Em geral, os tanques industriais diferenciam-se por seus recursos – de armazenamento, mistura, agitação, resfriadores, aquecedores, refervedores industriais e vasos de pressão.

Os tanques de vácuo, por exemplo, modalidade amplamente usada na indústria, pode ser fabricado em aço carbono ou em outras ligas de metais especiais. 

Tratam-se de vasos de pressão projetados para pressão externa, fabricados seguindo os mesmos critérios de um vaso de pressão para pressão interna. Devem ser regulamente submetidos à inspeções e verificações, de acordo com o plano de manutenção preditiva vigente na empresa e com as normas da Inspeção NR-13.

Além das normas restritas ao projeto, o tanque de vácuo deve atender a norma brasileira NR-13 do Ministério do Trabalho – que possui uma série de itens e inspeções que podem ser aplicadas ao tanque como ensaios não destrutivos de líquido penetrante, radiografia total ou parcial, ultrassom de chapas ou soldas, entre outros.

Fora graves prejuízos financeiros e em termos de produção, a ocorrência de vazamentos em tanques, eventualmente, pode colocar em risco a saúde dos trabalhadores – grande parte dos fluidos industriais tem restrições com relação à manipulação, devido às substâncias químicas.

Por essa razão, a realização da Inspeção NR-13, enquanto método de manutenção preditiva, tem como principal função detectar eventuais riscos e prevenir danos à produção e aos trabalhadores envolvidos no processo.

A importância de estratégias de manutenção preditiva

Assim como a análise de vibrações e medição de espessuras, por exemplo, outras técnicas de manutenção preditiva podem ser usadas no meio industrial. O mais importante, independente do método escolhido, é prezar por uma rotina criteriosa de avaliação das instalações.

Dessa forma, fica mais fácil detectar eventuais problemas e garantir o pleno funcionamento das máquinas. Entre as principais vantagens de uma rotina voltada à manutenção preditiva estão a maior conservação das máquinas, o aumento da vida útil dos equipamentos, a redução de custos com manutenção corretiva e o estímulo à produtividade.

Como o quesito investimento é um dos que mais pesam no planejamento organizacional, adotar estratégias eficientes na hora de implantar o plano de manutenção é fundamental.  Já falamos um pouco sobre o sistema lean e seus benefícios para a manutenção de máquinas, uma vez que ele ajuda a combater os principais desperdícios na manutenção de máquinas. São eles:

  1. Superprodução: ocorre quando algo é feito antes de ser realmente necessário, podendo ocasionar excesso de inventário;
  2. Tempo de espera: relacionado ao tempo adicionado por uma operação em processo, aguardando o próximo estágio de produção, um bom exemplo disso são os casos de manutenção de máquinas que não planejadas e precisam ser executadas às pressas;
  3. Transporte: é o movimento desnecessário de qualquer elemento do processo de produção, desde as matérias-primas até peças em processo de produção e produtos acabados;
  4. Movimentação: trata-se de todo e qualquer movimento desnecessário feito pelas partes e elementos envolvidos no processo de produção que possam impactar o ciclo de vida útil dos equipamentos;
  5. Inventário: se refere a qualquer quantidade de produto excede o suporte às necessidades imediatas de produção ou de manutenção de máquinas;
  6. Defeitos: sempre que há uma produção de material que não esteja em conformidade com os padrões de qualidades exigidos;
  7. Potencial humano desperdiçado: quando o potencial humano não é utilizado ou é subutilizado. Comum nos casos onde a empresa não possui um programa de manutenção preventiva e sofre com paralisações de linhas de produção.

Pela importância do tema, sugerimos a leitura de nosso artigo sobre sistema lean e seus benefícios para a manutenção de máquinas na íntegra!

Como funciona a Inspeção NR-13

A Inspeção NR-13 envolve verificações e testes para adequar o funcionamento seguro de caldeiras, vasos de pressão, trocadores de calor e tubulações – por isso, exige um planejamento de manutenção bem executado.

Além disso, ela gera documentos que comprovam a realização da inspeção, bem como, registram o histórico de cada equipamento, comprovando que as máquinas estão em condições de operar em condições seguras, sem colocar em risco a vida de colaboradores e demais pessoas que possam visitar o espaço onde esses equipamentos – considerados de alta periculosidades – estão instalados.

Vejamos a seguir, em linhas gerais, como se dá a Inspeção NR-13 em cada equipamento.

Inspeção de Segurança em Vasos de Pressão

Vasos de Pressão são equipamentos de alta periculosidade, sendo projetados para resistir à pressão externa e a pressões internas diferentes da pressão atmosférica. A inspeção consiste na realização de teste hidrostático e ultrassom – técnicas não destrutivas – e inspeções visuais e de dispositivos de segurança, tanto em vasos de pressão vertical, como horizontal e manifolds. 

Inspeção de Segurança em Caldeiras

Seguindo normas de segurança do trabalho e saúde, são avaliadas a integridade e o ambiente de instalação do equipamento na parte externa. A inspeção utiliza teste hidrostático, ultrassom e líquido penetrante para verificar possíveis rupturas, fissuras e trincas – bem como, qualquer sinal que possa representar riscos. ​​São verificados: caldeira, autoclave e panela de cocção.

Inspeção de Segurança em Tubulações

Nas inspeções que envolvem tubulações – conjunto de tubos e acessórios destinados ao transporte de fluidos para processos industriais e armazenamento – é realizada medição por ultrassom e, também, teste de estanqueidade. O objetivo é garantir o bom funcionando dos sistemas, gerando segurança ao ambiente e pessoas, bem como preservação da saúde e do meio ambiente. 

São efetuadas inspeções nos seguintes tipos de tubulação: Tubulação de Gás Natural, Tubulação de Sprinkler e Tubulação de GLP.

Inspeção de Segurança em Tanques

Realizadas inspeções internas e externas, através de ensaios por líquido penetrante e medições por ultrassom. Com os serviços de inspeção e calibração dos tanques, é possível eliminar riscos de segurança para os colaboradores e evitar danos ao meio ambiente ou prejuízos financeiros.

Uma exigência do  Ministério do Trabalho, como já foi dito, a Inspeção NR-13 deve ser realizada por equipe habilitada. A MMtec possui excelência em programas de  manutenção preventiva explorando as mais diversas técnicas e, por conta dessa experiência, está apta a executar serviços exigidos pela NR-13, entre eles:

  • Inspeções periódicas de segurança nos equipamentos que exigem esse procedimento, dentro na NR-13;
  • Avaliação de integridade física, com recomendações de melhorias;
  • Cálculo da pressão máxima de trabalho admissível;
  • Calculo mecânico de espessuras;
  • Elaboração de projeto para alterações ou reparos, quando necessário;
  • realização de teste de caixa de vácuo;
  • Calibração e certificação da válvula de segurança;
  • Calibração e certificação do manômetro;
  • Geração de relatório de calibração da válvula de segurança;
  • Elaboração de relatórios de calibração do manômetro
  • Produção de laudo de inspeção de NR-13, exigido pelo Ministério do Trabalho;
  • Criação de relatório de medição de espessura (ME) e cálculo de espessura mínima dos vasos de pressão;
  • Inspeção visual com ensaio fotográfico e verificação do estado de funcionamento dos componentes e acessórios;
  • Livro de Registro de Segurança, conforme itens 13.1.7 e 13.6.5 da NR-13.

Fica evidente que a Inspeção NR-13 oferece um aprimoramento no processo de manutenção nas empresas, portanto, além de obediência à legislação trabalhista, ela também oferece benefícios para as empresas, entre eles:

  • melhor funcionamento dos equipamentos, evitando paradas não programadas e perda de produtividade;
  • maior segurança para a empresa e seus colaboradores;
  • maior transparência em relação às normas e procedimentos executados na organização;
  • melhores resultados em função da empresa evitar penalizações – confira o próximo tópico – e garantir toda sua capacidade produtiva.

Porque sua empresa precisa efetuar a Inspeção NR-13

Além dos benefícios anteriormente apontados, a Inspeção NR-13 é uma exigência legal e as empresas que não cumprirem as exigências estão sujeitas às seguintes consequências:

  • Multas: o valor das multas aplicadas à NR 13 são variáveis, dependendo da quantidade de colaboradores que foram/estão sujeitos a riscos, bem como o tipo de risco que os equipamentos oferecem ao ambiente – o valor é aplicado a cada item considerado fora das normas, podendo envolver altas quantias;
  • Interdição do estabelecimento: dependendo da situação, o estabelecimento ou o equipamento pode ser embargado ou interditado. Isso ocorre quando responsável legal pela inspeção constatar situação de grave e iminente risco à saúde e/ou integridade física de colaboradores. Ele se baseia em critérios técnicos e, detectando riscos, propõe à autoridade regional competente a interdição do estabelecimento – de modo imediato, sendo aberto somente após efetuar todas as providências necessárias para reverter o quadro de perigo eminente.
  • Danos ao meio ambiente: dependendo da ocorrência pode haver danos ao meio ambiente – como vazamento de óleo ou outros produtos prejudiciais à natureza. E, claro, esse tipo de problemas causa um enorme desgaste à marca.
  • Prejuízos à imagem da organização: no caso de interdição de equipamento ou da empresa, além de interrupção à produção e todas as consequências advindas desse problema, a imagem da empresa sofre um impacto negativo, difícil de ser mensurado e reparado.
  • Acidentes que podem levar a perda de vidas: os equipamentos que devem ser inspecionados pela NR-13 são de alta periculosidade e se não estiverem funcionando de modo adequado podem ocasionar acidentes de enormes proporções e, em últimos casos, levar a óbito. Em outras palavras, a Inspeção NR-13 realizada de forma adequada, por profissionais capacitados, pode salvar vidas!

Como ficou muito claro, a  NR 13 estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de caldeiras a vapor, vasos de pressão e suas tubulações de interligação nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores.

Quando implantadas de forma correta, as rotinas ligadas à manutenção preditiva permitem calcular, de forma antecipada, uma estimativa do intervalo de tempo entre as paradas e os reparos. Isso organiza o panorama produtivo, permitindo à empresa planejar as paradas sem prejudicar a produção.

De acordo com o Anexo II da NR-13, é obrigatória a existência de pessoal próprio da empresa onde estão instalados caldeira ou vaso de pressão, com dedicação exclusiva a atividades de inspeção, avaliação de integridade e vida residual, com formação, qualificação e treinamento compatíveis com a atividade proposta voltada à segurança das instalações.

Buscar suporte de profissionais especializados é fundamental na hora de realizar a Inspeção NR-13 na sua empresa. O domínio sobre os equipamentos e instalações é essencial na hora de recomendar as melhores soluções de manutenção para manter a empresa em compliance com as determinações legais.

A MMTec atua há mais de 15 anos oferecendo soluções com qualidade e rapidez no atendimento aos chamados. Nossos profissionais acompanham constantemente as evoluções tecnológicas para garantir a melhor entrega e solução ao cliente – equipe técnica e equipamentos alinhados com o que há de melhor no mercado.

Fazemos parte do programa PQF (Programa de Qualificação de Fornecedores), responsável por acompanhar e garantir todos os procedimentos organizacionais, medidas de melhorias, padronização em atendimento e serviços, assim como uma série de quesitos voltados para empresas com comprometimento total com a qualidade.

Ficou interessado em saber mais sobre nossas soluções de manutenção preditiva? Precisa adequar sua empresa às determinações da NR-13? Fale com um de nossos especialistas, solicite um orçamento e comece já uma rotina de inspeções para cuidar da integridade dos equipamentos e da vida de seus colaboradores.

Open

Solicite um Orçamento