Em um mercado em rápida evolução como o que temos hoje, a competitividade aumenta, cada dia mais, na indústria. Para gerenciar esse desafio, é preciso buscar por novas formas de otimizar as práticas de fabricação.

Durante as últimas décadas, a adoção de princípios de produção Just in Time (JIT) tem sido amplamente divulgada para aumentar a lucratividade e a produtividade.

No entanto, a maioria das organizações concentra-se exclusivamente na eficácia do Just in Time na linha de produção, esquecendo-se que um requisito para o sucesso da metodologia é aplicá-la também nos reparos de equipamentos, em conjunto com a manutenção preditiva.

Mas como Just in Time pode ser aplicado na manutenção preditiva e quais os reais benefícios dessa estratégia? Continue lendo e descubra!

O sistema de fabricação Just in Time

O Just in Time, como o nome sugere (no tempo certo, em uma tradução livre), é uma filosofia de gerenciamento que exige a produção do que o cliente quer, quando ele quer, nas quantidades solicitadas.

Ou seja, ao invés de construir grandes estoques do que você acha que o cliente pode querer, você só faz exatamente o que o cliente realmente pede, quando ele pede. Isso permite que você concentre seus recursos apenas em cumprir com aquilo pelo qual você vai receber, em vez de criar “apostas” de vendas que podem não se cumprir e acabar com estoque parado.

Dentro de um sistema de fabricação Just in Time, cada processo só produzirá o que o próximo processo da sequência está pedindo, e somente no momento em que a solicitação for solicitada. Mas como, então, o Just in Time se relaciona com a manutenção preditiva?

A importância do Just in Time na manutenção

O JIT na manutenção é a submissão dos princípios do Just in Time em ambientes de manutenção, pois a alta confiabilidade é importante para um sistema de fabricação Just in Time. Entretanto, isso requer manutenção efetiva e uma abordagem sistemática para evitar falhas e dúvidas organizacionais.

A avaliação dos riscos durante a concepção dos sistemas de produção e o planejamento das atividades de manutenção é importante para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores dessa área.

O Just in Time na manutenção tem foco na confiabilidade das ferramentas, reduzindo a necessidade e a quantidade de reparos. O objetivo é proteger equipamentos e sistemas das causas raiz de avarias e falhas que causam de tempo de inatividade, ajudando também a reduzir os custos de manutenção.

O Just in Time e a manutenção preditiva

Para conseguir esses objetivos, o sistema JIT reconhece os desperdícios que podem ocorrer na manutenção. Eles são identificados, eliminados e avaliados para implantação de um processo de melhoria contínua.

Como? Por meio das técnicas de monitoramento da manutenção preditiva. A manutenção preditiva monitora diretamente a condição e o desempenho do equipamento durante sua operação normal para prever falhas.

O objetivo é manter a frequência de manutenções baixa para evitar quebras não planejadas e realizar tarefas de manutenção preventiva desnecessárias. Com isso, as organizações monitoram e testam consistentemente as condições dos equipamentos, como lubrificação e corrosão.

Entre as técnicas de monitoramento utilizadas pela manutenção preditiva podemos incluir a análise de vibração, ultrassom, ferrografia, monitoria de processos, inspeção visual e outras técnicas de análise não-destrutivas (que não interferem no funcionamento da máquina).

Cada equipamento é avaliado individualmente para que soluções específicas de manutenção sejam elaboradas. Assim, o Just in Time na manutenção leva a maximização do rendimento, rentabilidade e da produtividade.

E para que você saiba como está a situação da manutenção preditiva da sua empresa, faça o download gratuito do nosso Check list da Manutenção Preditiva, para que você possa avaliar e comprovar a necessidade deste processo na sua empresa!

 

 

Pin It on Pinterest