A manutenção corretiva costuma ser um recurso usado especialmente por empresas que não possuem uma política de manutenção.

Mas nem sempre ela é considerada a solução ideal para a sua empresa, já que existem alternativas que garantem mais eficácia e controle operacional para a sua empresa.

Entenda melhor o impacto da manutenção corretiva em suas operações e quando ela é a mais indicada para seus negócios na leitura a seguir.

Entenda a manutenção corretiva

A manutenção corretiva é o tipo de manutenção que apenas restaura a função de um item depois que ele apresenta uma falha. Baseia-se no pressuposto de que a falha é aceitável e que a prevenção não é econômica ou não é possível.

Além de ser o resultado de uma estratégia deliberada de execução à falha, ela também é o resultado de falhas não planejadas, que provavelmente poderiam ser evitadas através da manutenção preditiva.

Ao optar pela manutenção corretiva como estratégia, é essencial garantir que os modos de falha em consideração não tenham o potencial de se tornarem uma ocorrência que exija manutenção de emergência.

Um ambiente de manutenção reativa não é exatamente a opção mais eficiente economicamente para uma empresa, por conta da imprevisibilidade que ela traz ao orçamento e às operações. É mais caro, menos eficiente e menos seguro.

Portanto, embora uma estratégia de execução para falha possa ser uma boa opção, certifique-se com dados que garantam que a manutenção corretiva é mais vantajosa que a preventiva.

Tipos de manutenção corretiva:

  • Manutenção planejada: comum em casos de um plano de manutenção de falha. Neste caso, a equipe de manutenção decidiu que certos equipamentos serão atendidos apenas quando eles apresentarem falhas. Um exemplo seria o planejamento de substituir uma lâmpada apenas quando ela queimar;
  • Manutenção não-planejada: a manutenção corretiva não planejada é geralmente o resultado de uma avaria inesperada. Essa modalidade pode trazer sérios prejuízos, já que ela pode impactar drasticamente a operação, reduzir a qualidade da operação e causar problemas no relacionamento com clientes, parceiros e fornecedores;
  • Reparo de falhas: o equipamento com falha é restaurado para seu estado operacional;
  • Salvamento: este tipo de manutenção corretiva refere-se à eliminação de material não reparável e ao uso de material recuperado de equipamentos / itens que não podem ser reparados nos programas de reparo, revisão ou reconstrução;
  • Reconstrução: é o processo de restaurar o equipamento ao estado original em desempenho, expectativa de vida e aparência. Isto é conseguido através da desmontagem completa, reparação e substituição do equipamento;
  • Revisão: restauração de um item para seu status de serviço total de acordo com os padrões de manutenção, usando a abordagem “inspecionar e reparar apenas conforme apropriado”.

Vantagens da manutenção corretiva

Quando a manutenção corretiva é planejada como parte de uma estratégia de manutenção, ela permite que os responsáveis ​​pela confiabilidade se concentrem em outros empreendimentos até que um desarranjo ou gatilho de falha ocorra.

Porém, para que a iniciativa apresente os resultados esperados, é preciso ter uma série de cuidados para uma boa execução de manutenção corretiva:

  • Uso de ferramentas adequadas;
  • Contar com uma equipe de especialistas técnicos capacitados, como é o caso da MMtec;
  • Ter um estoque de peças de reposição, que minimizem o tempo de parada do equipamento, entre outros.

Manutenção Corretiva X Manutenção Preventiva

Como você pode ver, a manutenção corretiva tem seus benefícios – mas traz uma série de riscos que podem ser controlados ou até eliminados quando a empresa aposta em um programa de manutenção preditiva ou até preventiva:

Empregar a manutenção preditiva permite realizar todo o processo antes que uma falha tenha ocorrido. Essa tarefa pode ser destinada a evitar uma falha, minimizar as consequências de uma possível falha ou ao avaliar o risco de a falha ocorrer.
Isso também proporciona um controle mais preciso da situação: é possível programar a parada da planta industrial sem gerar impactos na produção, além de permitir um provisionamento ordenado do orçamento da empresa;

Quando se opta pela manutenção corretiva, a falha já ocorreu – a empresa está basicamente restabelecendo a funcionalidade do equipamento.
Não há controle da situação e a empresa corre o risco de lidar com as consequências:

  • Atraso na produção;
  • Problemas com a qualidade de um lote específico;
  • Falhas na logística;
  • Desgaste nas relações com clientes;
  • Possíveis prejuízos para a marca junto ao mercado em situações que envolvam o meio ambiente ou o envio de produtos impróprios para o consumo para os clientes.

Quando se compara a manutenção corretiva com a preditiva, fica mais fácil observar os benefícios estratégicos de apostar na segunda opção.

Se você deseja se aprofundar mais sobre o tema ou ficar por dentro das novidades do setor, acompanhe as publicações da MMtec.

Pin It on Pinterest

Open

Solicite um Orçamento